Soneto da Lágrima

Uma lembrança que se desperta
E derrama uma lágrima singela.
Uma salgada gota de saudade
Cheia de amor e lealdade.

Uma aflição que atinge
Um peito bagunçado
Cheio de aromas e sensações,
Emoções vindas do passado

As incertezas das pessoas
A insegurança me atordoa
E choro, talvez à toa.

A gota enfim alcança
O limite da pele
E como tudo na vida, se vai. Se lança.

Anúncios
Published in: on 22/04/2011 at 00:33  Deixe um comentário  

Mulher Angelical

Há toda uma candura e lirismo
No olhar fundo que admiro
Na leveza dos gestos
No conforto da presença.

E sabendo de minha carência
Talvez tenhas a indecência
De me fazer com a cadência
Os carinhos sem inocência

Te esperando ansioso
Arrumarei minha casa
Pra que possas nela entrar.

E no coração bagunçado
Darei um belo jeito
Pra comigo você se espalhar.

Published in: on 21/03/2011 at 00:42  Deixe um comentário  

Soneto do Carnaval

As cores ficam vivas
Adentrando toda retina
A música penetra, contagia
E aos poucos, surge o carnaval.

O Momo sai com caroa e cetro
Os passistas se alimentam de frevo
E frevam em intensa euforia
Passistas,frevo, folia, porque é carnaval.

A realidade descansa, ausenta-se
As roupas somem ou acresenctam-se
De tudo acontece, afinal, é carnaval.

Suor, Olinda,Galo, Antigo
Multidão em multirão em festa
Nada para se preocupar.Chegou o Carnaval!

Published in: on 28/02/2011 at 23:01  Deixe um comentário  

A Visita

Então ela surgiu em mim.
Surgiu com olhos famintos
Grandes ,morenos e famintos
Boca fresca e cabelos negros.

Surgiu em mim e ficou
Fez-se passáro cansado,
Pousou e respousou
E em mim se assentou.

No descanso, pouco falou,
Apenas quis dizer olhando
E beijando encantou.

Descansada, foi-se
Vuou para longe
E seu ninho deixou.

Published in: on 18/02/2011 at 10:42  Comments (3)  

Soneto da Partida

Riso,pele,olhos e perfume
A flor mais linda do campo
Voltou a me deixar.

Não sei mais do seu riso
Não cheiro mais sua pele
Não beijo mais seus olhos

Vais novamente para deixar-me
Na espera árdua, no desejo afável
Na insinuação perpétua e inegável
Com a certeza Sexta ou Sábado.

Como toda noite há escuridão
Voltes sendo meu amanhecer
Sentir seus cabelos, ver seu raiar
Seja você,meu amor, flor a desabrochar.

Published in: on 29/01/2011 at 12:47  Comments (2)  

Soneto da Entrega

Meus dedos se entrelaçaram com os seus,
Minha alma se entregará a tua,
Os pensamentos seus estarão nos meus,
O desejo de amar mutuamente será nosso.

Nossos braços irão se perder frequentemente
E sua boca encostará na minha, inteiramente
Você, então, tomará conta do meu coração
E seremos um só, completos, imensamente.

E seus olhos estarão sempre de encontro aos meus
E seus suspiros estarão sicronizados os meus toques
E sua pele irá se arrepiar na minha chegada.

Minhas mãos irão pedir a segurança da sua na rua
Meus ouvidos escutrão a doce melodia de sua voz
E, entraleçando os dedos, viveremos bem juntinhos.

Published in: on 27/10/2010 at 19:20  Deixe um comentário  

Soneto Para Mulher Alvinha

Se ela soubesse que seu riso encanta
E tivesse ciência de que sua alma pura
Assola o coração daquele que atento
Penetra seus olhos luminoso e ardentos

Se eu a escutasse dizer que me ama
Num só ato possuiria em desejo
Conquistando de uma só vez sua boca
Explorando cada dia um pedaço do todo

Coisa clara, princesa alvinha
Se soubesses o bem quem me fazes
Não se ausentarias nem por um minuto

Se soubesses minha alvinha
Que nosso coração bate num só tom
Te quero, te quero, te quero, te quero.

Published in: on 30/08/2010 at 22:13  Comments (4)  

Oração em Soneto

Serenos somos,
Serenos seremos
De coração contrito,
Juntos oremos:

Oremos pela flor
Que desabrocha,
Vive e embeleza,
Doa-se e murcha

Oremos pelo amor
Que vive em nós
Que vive com ardor

Oremos pelo sorriso
Que dá vida e brilho
E que alegre nos cativa

Published in: on 16/08/2010 at 00:12  Comments (4)  

Casa Uivante

Num momento de serenidade
Com amigos para compartilhar
Hei de me fazer presente
Na casa que uiva na luz do luar

Uiva impetuasamente
Com uma árvore a nos acompanhar
Amigo embebidos de néctar
Enfumaçados de sabedoria

Cá estamos novamente
Casa que uiva e incensa
Incenssados,nos eleva

Cá estamos novamente
Purificados e lavados
Na casa que se faz a uivar.

Published in: on 12/08/2010 at 13:02  Comments (1)  

Pranto da Mulher Morena

Estando a morena amada
Quieta em sua morada,
Deitada em sua cama
De forma tranquila e jogada

Ó morena linda e amada
O que aconteceu com seus olhos?
Ó morena amada e linda
Por que eles choram?

Ó Amantissima moreninha
Quero ser  o teu  lenço
Pra enxugar teu pranto

Ó  Amantissima moreninha
Deixa eu te ninar, te afagar
Para que  possas de novo amar.

Published in: on 18/07/2010 at 00:30  Comments (3)