Para a Mulher que Amanhece

Eis que ela surge com toda leveza,
Com toda luz de um sorriso aberto,
De uma alva e dourada pele.
Surge como ouro em minhas mãos
Como achar tesouro no chão…

Surges como pássaro num rasante,
Como livre e impetuoso vento forte,
Que sopra as folhas mortas no chão
De um outono que veio sem perdão.
Vento que limpa de vez o coração.

Vieste em meio de risos e olhares,
Um andar dançante como em flores,
No meio de gente e fumaça,
De pessoas conversando, sem graça.
Surgiste,soprasse,vieste e brotasse…

Published in: Sem categoria on 01/12/2011 at 12:41  Deixe um comentário