Samba

É da força dos braços,
Agilidade dos dedos,
Da firmeza da voz,
Da rapidez dos movimentos,
Movimentos tão delgados
Tão formosos quanto atirados,
Que ele nasce.

Ele nasce e cresce e se reproduz,
E aumenta e nos fortalece,
e nos enfeitiça.
E ganha vida em caixas de fósforos,
Beiradas de mesa e tapinhas nas pernas.

Ele toma conta dos corpos
morenos,brancos,negros,pálidos.
Corpos que recuam, rodam, balançam.
Corpos que, soltos, dançam…
E dançam livres e sem covardia.
Mulatas que pisam na tristeza da lida.
Homens q fazem da noite sua vida.
Que fala de tristeza com alegria.
Ele é assim, samba é assim…

Anúncios
Published in: Sem categoria on 03/12/2012 at 22:01  Comments (1)