Ser Poeta

De onde vem a tristeza do poeta?
Vem do fato de sê-lo.
Da vida esperançosa,
Das tentativas receosas,
Da melancolia imposta.

A felicidade do poeta.
Ah como é intensa!
Como é grande!
Quão amável felicidade
Tanto quanto passageira…

O amor do poeta
Não finda nem esmorece.
Não se apaga nem se estraga.
Resiste e sofre pela malicia
Daquela que o acolhe…

Ah! Grande é o ser poeta!
De ao personificar-se,
Despir-se e Jogar-se
Nesse infinito mar
Que um dia há de descansar.

Anúncios
Published in: on 23/11/2011 at 01:03  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://pedrohspereira.wordpress.com/2011/11/23/ser-poeta/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: